João Caramês

Fazendo alusão ao título da obra de Jorge de Sena, parecem encontrar-se “Sinais de Fogo” no panorama da Medicina Dentária Portuguesa. Questionar o seu porquê à luz de um interesse exclusivamente coletivo, será um exercício de reflexão que a todos se coloca.

Numa era em que as redes sociais se assumem como terreno fácil e fértil para a livre expressão de opinião, apela-se a uma postura prudente e de bom senso entre todos. Em particular, no ato eleitoral que se aproxima. O respeito pela Medicina Dentária e a nossa dignidade profissional assim o exigem.

Saibamos, por isso, louvar méritos, reconhecer os limites, e encontrar numa discussão superior parte das soluções para os problemas ainda em curso. Por assumir e defender um sentido de meritocracia, não posso deixar de reconhecer o importante trabalho realizado pela atual direção da Ordem dos Médicos Dentistas, liderada por Orlando Monteiro da Silva.

Importa destacar, que ao longo dos últimos anos, se definiram e concretizaram objetivos que consolidaram a imagem do médico dentista perante a sociedade e contribuíram para uma melhor saúde oral em Portugal.

Se se identificam importantes desafios no presente e futuro da profissão, acredito que a experiência, o sentido de realização, e a assertividade da candidatura de Orlando Monteiro da Silva lhes poderá dar a melhor resposta.

Médico dentista, cédula profissional nº 288.